Certas coisas

Tem certas coisas que não precisam (ou devem) ser ditas…

Não. Os textos deste modesto espacinho não vão se restringir às certas coisas que são ou não são ditas, que eu sei ou não sei dizer, que precisam ou não, enfim. Mas, escrever sobre este assunto é algo que já estava latejando em meu peito e fervilhando a minha cabeça de ideias. Não é nada demais, só é algo que gostaria de registrar aqui e que é paradoxal ao texto inaugural do Certas Coisas.

Bom, tenho absoluta certeza de que a minha mãe me ama como – ou mais que – a si mesma. Ela também tem a certeza do contrário. Minha mãe é a pessoa por quem eu daria a minha vida. É o meu norte e é uma mulher de muito valor. É a minha MELHOR amiga e a pessoa que sei que acima de tudo, quer o meu bem.

Minha mãe é uma pessoa de coração bom, que cuida de mim (e de mais um monte de gente) como se estivesse cuidando de si própria. Muitas vezes, cuida menos de si para cuidar dos outros. Não tenho dúvida em afirmar que Deus foi muito misericordioso em me dar como mãe esta pessoa. E, sou franca em afirmar que não preciso que ela fale uma palavra sequer para eu saber o que ela está pensando.

Quando tiver um filho, talvez possa entender que amor e devoção são esses que faz das mães mais especiais. Talvez também, quando for mãe, posso tentar conseguir sentir algo maior do que o que sinto hoje por ela, porque, se há algo que é maior que o universo para mim é o amor que tenho pela minha “Florzinha”.

Apesar de tudo isso, nunca disse pra ela o quanto eu a amo, assim como ela também nunca me disse. Existem coisas que nem mesmo as palavras são capazes de traduzir e, tentar transcrever sentimentos é correr o risco de, no mínimo, menosprezá-los e reduzi-los a um alfabeto ordenado em expressões.

Ela sabe que eu a amo e eu sei que ela me ama e isso é sentido, não dá pra medir ou descrever.

Na mesma moeda, há certas coisas que vão além do quesito “não precisam ser ditas”. O verbo que quero exaltar aqui é outro: elas não devem ser ditas. Como é bom dividir o tempo, as conversas e as palavras com pessoas que são capazes de se despir de seus valores, crenças, ideias, simplesmente para nos ouvir e nos entender.

Em alguns momentos, não é necessário aconselhar. É possível chamar de amigo uma pessoa que se isenta de opinião a seu respeito quando uma situação te aflige. Saber ouvir e, principalmente, saber compreender é uma arte e esta é para poucos.

Muitas vezes, o ato falho de falar o que vem à cabeça é tão infeliz. Faz tão mal. Machuca e ofende. E muitas vezes perdemos a valorosa chance de nos permanecermos calados e guardarmos para nós mesmos a opinião que não acrescenta nada em determinadas situações.

Reflexão, demonstrações de carinho, senso crítico, compreensão, discrição e mais um monte de coisas nunca sobram. O que nos resta é saber decifrar as situações em que cada um deve falar mais alto!

Anúncios

Navegação de Post Único

5 opiniões sobre “Tem certas coisas que não precisam (ou devem) ser ditas…

  1. Virgínia Magalhães em disse:

    Eu ainda estou aprendendo, e enquanto não aprendo, quebro a cara com um monte de palavras soltas ao vento que poderiam, no mínimo, ter ficado guardadas em meu consciente… Adorei o texto!

  2. Pow, legal o o blog, parabéns… axo que vou reativar o meu, faz tempo que não escrevo bobeiras nele…rsrs

  3. Fabíola Martins. em disse:

    Mais uma vez você disse tudo! Eu estou tentando aprender a calar, tenho essa coisa em mim de falar demais em várias situações (ou em todas!), e depois que coloco tudo pra fora, vem a sensação de que seu tivesse refletido um pouco mais e me calado ante a situação ou comentário, eu me sairia melhor…É um exercício árduo e complicado, mas jamais impossível!

    Lindo texto amiga!

    Bjs.

  4. vanilda em disse:

    Parabéns pelo seu texto!
    tocou num assunto deveras difícil de encararmos,
    e de encontrarmos pessoas que entrem em sintonia conosco em momentos
    que muito necessitamos, pessoas disponíveis, solidárias! Ouvir, falar, calar, amar…

    Há muito o que se comentar sobre isto, e tudo se resume em ‘saber se adequar’…
    é uma cobrança permanente para todos nós, no dia a dia.

    “Nossa incapacidade de ouvir é a manifestação mais constante e sutil da nossa arrogância e vaidade: no fundo, somos os mais bonitos…”
    “Para mim Deus é isto: a beleza que se ouve no silêncio. Daí a importância de saber ouvir os outros: a beleza mora lá também.”
    “Comunhão é quando a beleza do outro e a beleza da gente se juntam num contraponto…”
    Rubem Alves

    Deixo-lhes aqui a título ilustrativo, para que leiam quando puderem.
    Muito importante… a linguagem simples, mas uma crônica exemplar!
    http://www.rubemalves.com.br/escutatorio.htm
    in: “O amor que acende a lua” pág. 65.
    Grande abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: